Notícias

A Itália que queremos

Vicenzi defende em Caxias integração empresarial e acadêmica entre Brasil e Itália

25.01.18

Fábio Vicenzi Deputado Itália 2018

O candidato do Partido Democrático (PD) ao Parlamento italiano nas próximas eleições na Itália, Fabio Vicenzi, é o único ítalo-gaúcho a concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados, em Roma.

Em sua primeira aparição pública como representante do PD ao Parlamento italiano, ele apresentou três dos pilares que nortearão sua campanha eleitoral a uma platéia de mais de 150 empresários.
Durante a reunião-almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC), o advogado e empresário de 46 anos, que trabalha em São Paulo desde 1999, defendeu a integração empresarial e acadêmica entre Brasil e Itália, o resgate dos vínculos familiares e culturais; assim como a simplificação do acesso e da relação dos cidadãos italianos com os consulados de todo o País.

"Há 25 anos acompanho as oportunidades e os obstáculos de unir, aproximar e fazer interagir empresas brasileiras às italianas. Fui um dos responsáveis pela vinda da primeira missão de Estado do governo italiano a Caxias do Sul, ainda em 2004, que resultou em parcerias industriais nos anos seguintes, o que demonstra uma trajetória engajada ao empreendedorismo", frisou. Como exemplo de integração acadêmica, tão indispensável para o avanço e superação dos desafios tecnológicos, o candidato relembrou que em 2003 foi responsável pela viabilização de cursos de formação para jovens gaúchos e paulistas, com estágio na Itália, e em 2008 trouxe o então Presidente da Corte de Cassação da Itália para palestrar na Universidade de Caxias do Sul sobre o processo Mãos Limpas, tão debatido nos dias de hoje em função da Operação Lava Jato.

“Acompanhar e criar oportunidades para todos os italianos residentes no estrangeiro em todas as fases da vida, principalmente do estudante ao acadêmico, do profissional e empresário ao aposentando, com programas específicos para cada fase, será uma das minhas bandeiras”, disse ele, concluindo que “adotaremos pela primeira vez numa campanha eleitoral o conceito de Continuidade Territorial, já existente na Itália, permitindo que todo o italiano residente no exterior possa retornar à Itália de forma facilitada para a partir daí dar nova dimensão à sua cidadania, gerando oportunidades concretas para todos”.

As eleições italianas acontecem no dia 04 de março na Itália e até o dia 01 de março nos demais colégios eleitorais no exterior. Na oportunidade, cidadãos italianos residentes na América do Sul terão a chance de eleger quatro deputados e dois senadores.

O voto se dá por correspondência através de cédulas enviadas pelos consulados até meados de fevereiro, nos endereços cadastrados. Para votar basta preencher corretamente a cédula e remetê-la de volta por Correio em envelope pré-pago para o consulado ou depositar pessoalmente o envelope na caixa de correspondência do próprio consulado. Os envelopes com a cédulas de votação deverão chegar de volta aos consulados no máximo até às 16h do dia 1° de março.